Uma Coisa: Jesus e o Evangelho são suficientes – Albert Canfield

Uma Coisa: Jesus e o Evangelho são suficientes – Albert Canfield

Jesus e o Evangelho são suficientes

‘Então, deixando o seu cântaro, a mulher voltou à cidade e disse ao povo:

Venham ver um homem que me disse tudo o que tenho feito.

Será que ele não é o Cristo?’
João 4:28-29

‘Volte para casa e conte o quanto Deus lhe fez.

Assim, o homem se foi e anunciou na cidade inteira

o quanto Jesus tinha feito por ele’

Lucas 8:39

Logo no início da minha conversão, uma imensa gratidão por tudo aquilo que Deus havia feito em minha vida me impeliu a partilhar Jesus com outras pessoas. No princípio, mesmo sem jeito e com pouca confiança no que eu estava fazendo, me lancei a conversar com amigos e familiares sobre Jesus. A viva experiência que eu havia tido foi sem dúvida um dos pontos chaves nas conversas que tive e por muita graça de Deus pessoas foram tocadas e algumas decidiram-se por Cristo.

Desde o início, lembro-me de sentir um sentimento de despreparo ao evangelizar. Desejoso de melhorar como evangelista fui falar com vários cristãos mais experientes e tentar ler vários livros que me ajudassem no assunto. Depois de alguns anos, resolvi ir para o seminário, onde certamente eu iria aprender tudo o que eu precisava para me tornar um bom evangelista. Para minha surpresa, mesmo depois de alguns anos e agora nos primeiros anos de ministério pastoral, ainda assim sentia-me despreparado para a tarefa. A partir da prática e da necessidade aprendi duas valiosas lições sobre evangelismo.

Primeira, muito do que se fala sobre evangelismo se resume a métodos para trazer pessoas para a igreja. Quanto mais conversava com um cristão maduro, um pastor, ou lia um livro, repetidamente ouvia testemunhos de que esse ou aquele método é que era eficaz quando se tratava de evangelizar. Quando eu terminava de ler um livro sobre um método de evangelismo, aparecia outro, com uma nova técnica a qual eu não conhecia nem dominava. Não preciso dizer o quão frustrante foi pra mim perceber que quanto mais eu buscava conhecer sobre evangelismo, menos eu parecia saber sobre o assunto. Com tanta variedade, ao invés de me ajudarem a me tornar um bom evangelista, as tantas ‘formas certas’ de evangelizar só mostravam o quanto ainda me faltava de preparo e conhecimento. Ao invés de entender o evangelismo como algo simples, comecei a vislumbrar o evangelismo como algo que só os doutores e teólogos com muitos anos de experiência, uma imensa biblioteca e com um verdadeiro dom de evangelista seriam capazes de o fazer. Em resumo, eu estava perdido em meio a tantos métodos, achando que seriam eles que me fariam ser bem-sucedido ao evangelizar. Eu estava enganado!

A segunda lição que aprendi (e a mais importante) é que Jesus e o Evangelho são e sempre serão mais do que suficientes para evangelizarmos. Várias histórias no Novo Testamento nos mostram a simplicidade do evangelismo através da vida de pessoas muito simples. A mulher Samaritana (Jo. 4:1-42) e o Gadareno (Lc. 8:26-39), são dois excelentes exemplos de gente simples que nunca frequentou um seminário ou leu algum livro sobre evangelismo. Mas que ainda assim se tornam grandes evangelistas. O que os dois tinham em comum? Primeiro, uma experiência pessoal com Jesus e segundo a convicção da presença de Jesus com eles. Evangelismo, neste e em todos os demais casos nunca se tratou de bons métodos ou bons evangelistas, mas sim do conteúdo do que é anunciado ao evangelizamos: o próprio Senhor Jesus. Podemos ter ótimos métodos e sermos os mais hábeis comunicadores, mas se ao final do nosso discurso as pessoas não encontrarem verdadeiramente a Jesus, o máximo que estaremos a fazer será propaganda enganosa. Por isso, até o pior dos métodos com o pior dos comunicadores, mas com o poder e a convicção da presença de Jesus se tornará em um grande evangelista.

Em resumo, o que é primário ao evangelizarmos é uma viva comunhão com Jesus. A partir daí, o Espírito Santo irá nos guiar nos métodos e estratégias, sejam eles quais forem, para sermos bem-sucedidos na evangelização. Hoje sinto-me preparado para evangelizar, não por que domino vários métodos evangelísticos, mas por que entendo que Jesus e o evangelho são mais do que suficientes para verdadeiramente evangelizar. Lembremos que podemos todas as coisas por meio daquele nos fortalece (Jesus) (Fp. 4:13), mas sem Ele, estaremos perdidos (Jo. 15:5).